Frutas desidratadas: maior densidade de nutrientes

Frutas desidratadasAs frutas desidratadas são uma excelente opção para enriquecer os pratos e para fortalecer a alimentação em qualquer época do ano. A desidratação das frutas é feita há milênios, sendo uma forma encontrada pelas antigas civilizações para conservar as frutas durante os meses de inverno, fora de sua época de produção.

Existem dois tipos de frutas desidratadas: os frutos secos oleaginosos e as frutas secas. Na primeira classificação, temos as sementes, como amêndoas, castanhas, nozes e outras. As frutas secas são as frutas mais comuns, como uvas passas, bananas, ameixas, figos, tâmaras, damascos e outras.

Nesse tipo de frutas, somente é retirada a água, mantendo-se a mesma qualidade da fruta original, com suas vitaminas e seu teor calórico, suas fibras e sua qualidade alimentar.

As frutas desidratadas oferecem certas vantagens sobre as frescas, tendo sua vida útil prolongada e podendo ser facilmente utilizadas em qualquer lugar e em qualquer prato bem preparado, enriquecendo e embelezando a culinária.

Claro que, devido ao seu teor, praticamente idêntico ao das frutas frescas, o consumo de frutas desidratadas deve ser feito com moderação. Aliás, é importante lembrar que, no processo de desidratação, algumas espécies de frutas têm aumentado o seu teor calórico, uma vez que utilizam o açúcar no processamento.

Com os frutos secos isso não acontece, mantendo os mesmo índices de vitaminas, minerais e outros nutrientes de quando foram colhidos.

As fibras e antioxidantes nas frutas desidratadas

Uma porção de frutas desidratadas contém mais fibras que a mesma porção de frutas frescas, e isso deve ser considerado pela água que é retirada, tornando-as um alimento de alta qualidade para o sistema digestivo, criando também a sensação de saciedade por mais tempo. Para fazer uma comparação, enquanto os damascos frescos trazem 3,1 gramas de fibras por xícara, os secos são portadores de 6,5 gramas de fibras, ou seja, mais que o dobro.

As fibras contidas nas frutas desidratadas não são importantes somente para o funcionamento do sistema digestivo: elas ajudam a prevenir a obesidade, controla a qualidade do sangue e evita alguns tipos de câncer.

Os nutricionistas aconselham a incluir no cardápio as frutas desidratadas também por serem boa fonte de antioxidantes. Os fenóis, por exemplo, são mais abundantes nas frutas secas como as tâmaras e os figos do que em grande parte de frutas frescas. Os fenóis e polifenóis vegetais são auxiliares no combate às doenças cardíacas, à osteoporose, ao diabetes, a alguns tipos de câncer e a doenças degenerativas cerebrais.

Frutas desidratadas: maior densidade de nutrientes

As frutas desidratadas possuem maior densidade de nutrientes pois eles são concentrados em menor volume, depois da retirada da água. Isso faz com que, ingerindo a mesma quantidade de frutas frescas, tenhamos mais vitaminas e minerais nas frutas desidratadas, assim como outras substâncias, como betacaroteno, niacina, ferro, potássio, magnésio e cálcio.

Ao mesmo tempo, as frutas desidratadas possuem pouca ou nenhuma gordura, o que as torna especialmente indicadas como fonte de energia para atletas e como fonte de nutrientes para quem quer ganhar peso com saúde.

3 comments for “Frutas desidratadas: maior densidade de nutrientes

Deixe um comentário