Pequi, fruto do Cerrado ainda pouco conhecido pelos brasileiros

Uma das delícias de se viajar pelo interior do Brasil é a descoberta de novas frutas e iguarias. As dimensões continentais do país fazem com que algumas sejam desconhecidas até mesmo por brasileiros de outras regiões. É o caso do Pequi, muito popular no Cerrado brasileiro, principalmente em Goiás e no norte de Minas.

Fruto típico da região Centro-Oeste, ele é usado na confecção de óleos, bebidas, diversos pratos típicos e também para fins medicinais. Mas, nas grandes capitais, pouca gente já teve a oportunidade de degustá-lo.

Neste artigo, vamos explicar que fruta é essa, suas qualidades nutricionais e suas inúmeras aplicações.

Espinhos do Pequi exigem cuidado

pequiApesar do nome científico Caryocar Brasiliense, os índios chamavam o Pequi de “pele espinhenta”. A tradução literal, do Tupi Guarani, guarda relação direta com uma de suas principais características. Ao cortar a casca verde para degustar sua polpa perfumada e adocicada, os desavisados devem prestar muita atenção.

Entre a polpa e o caroço há uma camada leitosa, porém mais dura, que esconde perigosos espinhos. Ao mordê-los eles se soltam, provocando feridas na língua e céu da boca. O segredo, ensinam os locais, é não insistir com os dentes ao encontrar resistência.

Protegidos pela barreira de espinhos, dentro do caroço, escondem-se deliciosas castanhas. Quando cozidas, elas são macias, úmidas e com um leve aroma do Pequi. O problema é chegar até elas sem se espetar, como costumam dizer os mais experientes.

Veja outros nomes populares do Pequi:

  • Piqui
  • Piquiá
  • Amêndoa de espinho
  • Piquiá bravo
  • Grão-pequiá
  • Pequerim
  • Suari

Castanhas de Pequi fazem bem para a pele

Se você não quiser colocar o Pequi para secar por dois dias, ou cozinhá-lo para depois partir seu caroço, existe um meio mais fácil de comer as castanhas. Elas são vendidas já cozidas e prontinhas para o consumo nas cidades em que são cultivadas.

Além de sua utilização culinária, presente em diversos pratos típicos, a castanha de Pequi também é usada pela indústria de cosmético. Rica em vitamina A e proteínas, ela é adotada na fabricação de produtos para a pele. Entre eles, cremes, sabonetes e até shampoos.

Óleos, pratos típicos e licor de Pequi

Outra aplicação bem tradicional do Pequi é a fabricação de óleos para cozinhar e óleos para temperar comidas. Extraídos tanto da polpa como da castanha.

Entre os pratos típicos mais tradicionais estão o arroz e o frango (galinhada) com Pequi. Em ambos a fruta deve ser degustada com as mãos. Manda a tradição que não se usem talheres.

Também são comuns o sorvete e o licor de Pequi. A bebida ainda conta com uma crença de que os cristais que se formam na garrafa teriam poderes afrodisíacos.

Usos terapêuticos do Pequi

O Pequi tem duas vezes a quantidade de Vitamina C da laranja. Além disso, também é rico em vitamina A, vitamina E e carotenoides.

Por isso, apesar de não haver muitas pesquisas a respeito, costuma ser usado com fins terapêuticos em suas regiões de cultivo. Confira abaixo algumas dessas aplicações:

Efeito tonificante:

  • O óleo da polpa, rico em vitaminas C e A, é usado frequentemente com fins preventivos contra gripe, resfriados e outras doenças oportunistas.

Apoio no tratamento contra o Câncer:

  • As pesquisas foram realizadas pelo Laboratório de Genética do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade de Brasília. E concluíram que o Pequi é capaz de proteger as células de efeitos colaterais de tratamentos contra o câncer.

Combate os radicais livres:

  • O fruto também tem ação antioxidante. Seu consumo combate e retarda a ação dos radicais livres, que podem provocar o surgimento de doenças cardiovasculares e acelerar o envelhecimento.

Chá regulador:

  • O chá de suas folhas é tido como uma espécie de regulador da cólica menstrual, de males nos rins, bexiga e distúrbios gástricos.

Bom para os olhos:

  • A polpa, rica em Vitamina A, também é indicada para a prevenção de doenças degenerativas na córnea e retina.

Óleo cicatrizante:

  • A amêndoa do Pequi também é utilizada para a fabricação de um óleo usado com fins terapêuticos. Ele é indicado como um anti-inflamatório natural e cicatrizante.

A árvore do Pequi 

As árvores que geram os frutos do Pequi, os pequizeiros, também são aproveitadas para diversos fins. Elas atingem até 12 metros de altura e têm troncos grossos, muito usados para construção de casas e cercas.

As cascas das árvores servem à produção de corantes considerados de boa qualidade. E nem as flores escapam. Costumam enriquecer a ração dada aos animais

As folhas, como já citado, são usadas em chás com fins medicinais.

Você já comeu Pequi?

E você? Já teve a oportunidade de comer esse fruto fresco? Deixe seu comentário abaixo.

E aproveite para sugerir outro tema sobre o qual você gostaria de ler aqui no Produto Naturais.

Deixe um comentário