Aloe Vera e suas infinitas propriedades terapêuticas

Aloe VeraHá milhares de anos povos antigos como gregos, judeus, africanos, egípcios, árabes e europeus reconheceram o uso terapêutico da Aloe Vera. Aqui no Brasil a planta, também chamada de Babosa, tem seu uso muito difundido para na indústria cosmética, entretanto, a população ainda carece de conhecimento relacionado às infinitas propriedades desta planta.

Com funções curativas e cosméticas, é uma das plantas que apresenta maior relevância terapêutica, pois suas propriedades são complementares melhorando a qualidade de vida da população (saúde e estética).

Enquanto muitas pessoas somente conhecem as indicações relacionadas à tratamentos capilares e para queimaduras na pele, muitos pesquisadores em diversos países têm se dedicado para comprovar o potencial da Babosa na cura de diversas patologias. Estudos sugerem a eficácia da Aloe Vera na cura de inúmeras doenças a partir da interação de seus componentes.

E você? Conhece todo o potencial desta surpreendente planta? Acompanhe a seguir mais detalhes sobre a Aloe Vera e algumas das infinitas e surpreendentes propriedades desta planta.

Sobre a planta

A Babosa é uma planta pertencente à família das Liliáceas e do gênero Aloe. São mais de 300 espécies da planta sendo a Aloe Vera a mais conhecida e estudada na indústria alimentícia, farmacêutica, cosmética e fitoterápica.

A planta é formada principalmente por água, que representa mais de 90% de sua constituição. Por sua característica como planta suculenta, a Aloe Vera se desenvolve em vários ambientes e diferentes tipos de solo, inclusive nos mais áridos e desérticos. Tal característica permite que a planta esteja presente em diversas partes do território mundial.

Esse reservatório natural de água, é o gel presente principalmente no interior das folhas e é a partir deste componente rico em gliconutrientes que a maioria das propriedades terapêuticas da planta são estudadas e comprovadas. É comprovadamente uma fonte de minerais e vitaminas, tais como: Vitamina A, C, D, B1 e B2, alcaloides, saponinas, ácidos graxos, glicoproteínas, resinas, esteróis, aminoácidos, enzimas entre outras.

Principais benefícios da Aloe Vera

Como já dissemos, os estudos com a Aloe Vera não cessam. Por sua composição rica em nutrientes, pesquisadores cada vez mais dedicam esforços para encontrar possibilidades de potencializar e comprovar cientificamente seus benefícios.

Citamos alguns dos principais:

  • Anticancerígeno: como adjuvante no tratamento radioterápico, quimioterápico e até no pós tratamento, os estudos com esta terapia nova têm demonstrado resultados satisfatórios. São ainda muitos os mecanismos sugeridos para a eficácia daAloe Vera em neoplasias, mas, todos direcionam para a possibilidade da redução da reprodução de células defeituosas, que causam a propagação do câncer;
  • Anti-inflamatório e cicatrizante: Um polissacarídeo presente na planta, chamado deacemanana, é o grande responsável pelos efeitos anti-inflamatórios e cicatrizantes. A substância foi capaz de estimular a produção de macrófagos (defesa do organismo), além de estar associada a produção de fibroblastos, que atuam na regeneração da pele;
  • Tratamento de dermatite: Há relatos de que os efeitos da babosa para casos de dermatite são percebidos após 24 horas de seu uso. A planta melhora asensação de queimação e coceira por suas propriedades calmantes e cicatrizantes
  • Diabetes (redução da glicemia) e Dislipidemias: Estudos evidenciaram o potencialantioxidante da Aloe Vera reduzindo o colesterol ruim  e redução da glicose plasmática.
  • Asma brônquica:  Um xarope composto pelo gel de babosa demonstrou melhora clínica em pacientes com asma brônquica. Houve melhora dos indicadores respiratórios tais como taxa de saturação de oxigênio além da redução dos efeitos colaterais causados por medicamentos associados no tratamento.
  • Antimicrobiano: Os componentes pirocatecol, ácido cinâmico, ácido ascórbico e ácido p-cumárico presentes no gel, possivelmente atuam de forma complementar contra bactérias, fungos e vírus.
  • Redução de linhas de expressão: além de ser rica em vitaminas, a planta proporciona a melhoria na absorção componentes essenciais para a elasticidade da pele como Vitamina C e E. Além disso, foi evidenciado aumento na produção de colágeno em estudo realizado com mulheres acima de 45 anos;
  • Tratamento de placa bacteriana e gengivite: o gel vem sendo incorporado em cremes dentais e enxaguatórios bucais pro sua atividade na redução da proliferação de bactérias e potencial anti-inflamatório;

Além dos benefícios apresentados ainda é possível citar outros como o auxílio no equilíbrio eletrolítico do organismo, aumento da resistência física e cardiovascular, hidratação da pele e cabelo, facilitação do transporte de oxigênio.

Regulação quanto ao consumo

As inúmeras propriedades terapêuticas da Aloe Vera fazem com que a planta seja cada vez mais reconhecida por sua pluralidade funcional. Tal fato fez com que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) proibisse a comercialização de alimentos contendo a planta em sua composição.

Isso ocorreu, pois, por apresentar possibilidade de cura para doenças, é importante que sejam comprovadas cientificamente todas as indicações das quais se deseja comercializar o produto. O mesmo princípio de exigência comprobatória que é realizado com medicamentos e cosméticos foi aplicado à alimentos para garantir que a população possa ter à sua disposição todos os benefícios apresentados.

O uso do gel de forma natural, extraído da planta, com aplicação direta em locais de lesão, ou o consumo do suco da planta não é proibido, entretanto, recomenda-se cautela principalmente porque a avaliação toxicológica, ou seja, os efeitos tóxicos a longo prazo do consumo da planta ainda não foram completamente estudados.

Mesmo com algumas restrições, a existência de inúmeras propriedades terapêuticas da Aloe Vera é incontestável e possivelmente ao longo dos anos, cada vez mais seremos surpreendidos pelo poder desta planta com múltiplas indicações.

 

Referências

ANVISA. Informe Técnico n.47, de 16 de novembro de 2011. Esclarecimentos sobre comercialização de Aloe vera (babosa) e suas avaliações de segurança realizadas na área de alimentos da Anvisa. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br. Acesso em: 21 de nov. de 2011.

FREITAS, V. S.; RODRIGUES, R. A. F.; GASPI, F. O. G. Pharmacological activities of Aloe vera (L.) Burm. f. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 16, n. 2, p. 299-307, 2014.

MINJARES-FUENTES, R. et al. Effect of different drying procedures on physicochemical properties and flow behavior of Aloe vera (Aloe barbadensis Miller) gel. LWT-Food Science and Technology, v. 74, p. 378-386, 2016.

Deixe um comentário